A busca pela inserção no mercado de trabalho e o ensino profissionalizante
Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017

Foto: Ricardo Lunge/ADR Blumenau

No Brasil, em um ano quase 1,5 milhão de pessoas ficaram desempregadas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados no mês passado.. Essas pessoas se juntam aos mais de 13 milhões que estão sem emprego no país.

Os números são preocupantes e trazem incerteza para quem está inserido no mercado de trabalho, assim como para os jovens que estão iniciando uma carreira profissional. Mas como enfrentar este panorama desfavorável da falta de postos de trabalho?

Qualificação profissional

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 23,9% dos trabalhadores na ativa possuem apenas o ensino fundamental incompleto. Representando um total de 21 milhões de pessoas que possuem apenas esta formação. Quase a metade, 43%, tem até o ensino médio incompleto. Neste cenário de falta de educação, a melhor saída é a busca por qualificação, sendo a formação em um curso técnico um grande aliado para quebrar esse paradigma do desemprego e contribuir para a recuperação econômica do país.

Cedup

O Centro de Educação Profissional (Cedup) Hermann Hering, por exemplo, em Blumenau, tem 1,7 mil alunos, oferecendo três cursos profissionalizantes (informática, mecânica e administração), todos através do Ensino Médio Integrado à Educação Profissional (Emiep). O estudante Lucas Matheus Schlichting (foto), 17 anos, é um dos jovens que apostam no ensino técnico como ferramenta de inclusão no mercado de trabalho.  Ele está no terceiro ano de mecânica industrial e já pensa na sua carreira profissional.  

O gerente de Educação da Agência de Desenvolvimento RegionalEliomar Russi, ressalta a importância dos cursos profissionalizantes oferecidos pela instituição

- É de fundamental importância os cursos técnicos que estão disponíveis no Cedup, pois são voltados para o mercado de trabalho e têm um currículo que visa suprir a demanda das empresas da região.

Para o diretor da unidade, Osvaldo da Silva Sobrinho, o aluno formado na instituição entra na sociedade como um cidadão preparado para a vida, tendo como uma das metas o mercado de trabalho.

Ensino Médio profissionalizante

Segundo dados do Censo da Educação Básica, realizado pelo Movimento Todos Pela Educação, somente 8% dos alunos do ensino médio no país frequentam o nível técnico profissionalizante. Em nossa região, um dos estímulos para aumentar este número é visto na oferta de trabalho. Segundo informa o Cedup, cerca de 100 vagas de empregos são oferecidas pelas empresas aos alunos do ensino profissionalizante, desde estágio até vagas efetivas, principalmente para quem está concluindo o curso.




+ Fotos
Todos os direitos reservados © Copyright 2009 - Política de privacidade - A opinião dos colunistas não reflete a opinião do portal