Mais Colunistas

O que você achou do que leu na coluna? Comente

UMA HISTÓRIA ANTIGA DE AMOR PELA FOTOGRAFIA
Sábado, 22 de Outubro de 2016

Ele se chama Carlos Augusto Waldrich, mais conhecido como Kako Waldrich – pelo menos para os amigos e colegas do tempo de Colégio Franciscano Santo Antônio, hoje Bom Jesus Santo Antônio. Tempo em que a família Waldrich fazia e/ou revelava boa parte das fotografias que registravam os melhores momentos da vida dos blumenauenses, aliás, muitos deles colegas de escola de Kako. Afinal, quem não conhecia o Cine-Foto Carlos, fundado pelo patriarca da família?


Como a fruta não cai longe do pé, ele seguiu os passos do pai, dos tios e dos primos,  vivendo também da fotografia, viajando pelo Brasil e pelo mundo em busca de imagens para clientes/patrocinadores, registrando cotidianos em diferentes línguas, culturas e cenários – fotos aéreas feitas com drone, segmento no qual foi pioneiro na cidade, hoje são sua especialidade.


O trabalho externo mais recente do fotógrafo blumenauense foi na Alemanha, onde esteve para registrar a Oktoberfest de Munique e fazer um paralelo com a de Blumenau, que termina neste domingo. Com uma exposição reunindo dezenas de fotos e aberta ao público na Vila Germânica, onde ocorre o evento, e num shopping da cidade, Kako mostra um pouco daquilo que viu e sentiu na terra da maior Oktoberfest do mundo, com mais de 6 milhões de visitantes, e também na segunda maior, que recebe meio milhão todos os anos – as exposições ajudam a divulgar também o trabalho da casa de repouso para idosos São Simeão, em Blumenau, que aceita doações.


A seguir, ele fala um pouco sobre a experiência da fotografia e compara as duas festas:    


+ Artigos
Todos os direitos reservados © Copyright 2009 - Política de privacidade - A opinião dos colunistas não reflete a opinião do portal